sexta-feira, 14 de novembro de 2008

Pensamentos

As esquálidas rosas de setembro (perene sentimento) me enchem de uma ambigüidade múltipla em que ora tento ora desisto de ser e não ser.

Sempre gostei dos ventos (brisas mornas de inquietude) entre o inverno e a primavera (aquele finzinho de inverno). Nesses dias, o peito infla de esperança e se me pego na estrada vejo a vida passageira (do lado da janela). Por sorte, existe uma parada.

Ou poderia viver assim, pensando os pensamentos e dilatando o tempo (sonhando acordada).

5 comentários:

Lívia Vasconcelos disse...

Adoro textos imagéticos. Normalmente eu gosto de música no meio dessas paradas!
Adorei o texto, ariaaana! Cheio de sentimento :]

david disse...

sem dúvida ela eh um das brisas mornas de inquietude em mim....


e adoro os textos dela
além de adorá-la

kassianobre disse...

"ora tento ora desisto de ser e não ser".

adoro essa inquietude que faz brotar as palavras..

Muito bonito arika =)

Acássia disse...

Um lugar onde só os especiais conseguem ir e enxergar o que há lá. E foi lá mesmo que meu amor estava quando escreveu mais um texto tão lindo.

Amo.

Amanda disse...

adorei o texto, arika!

obrigada e poste sempre!

=D